Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

21/02/2012

O princípio do fim do princípio

Parodiando a paródia do Impertinente com as palavras de Churchill, deve ser disso que estamos a falar com os resultados do acordo da Grécia com o Eurogrupo: um swap da dívida antiga por nova com um haircut de 53,5% da dívida detida pelos credores privados, um 2.º pacote de 130 mil milhões, a redução retractiva dos juros e last but not least o estacionamento permanente de uma equipa da troika para monitorizar o acordo e a prioridade do pagamento do serviço da dívida pública externa a consignar na constituição.


Se tudo corresse bem, e a única certeza que temos é que nem tudo irá correr bem, se é que alguma coisa correrá bem, a Grécia teria em 2020 uma dívida pública de 120% do PIB, um valor provavelmente insustentável.

Sem comentários: