Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

12/02/2012

DIÁRIO DE BORDO: Querida, encolhi o povo!

Disse o camarada Arménio Carlos à camarada patroa quando chegou a casa depois da manifestação no Terreiro do Paço onde, segundo ele e a imprensa amiga, se deu «a maior manifestação de sempre». Umas horas depois, alguém lhe deve ter chamado a atenção para que não poderia concorrer com as manifs do PREC nos tempos do falecido camarada Cunhal e o «de sempre» foi corrigido para «dos últimos 30 anos».

Ora a maior manifestação de sempre dos últimos 30 anos teve, segundo a CGTP e a imprensa amiga, 300 mil pessoas que couberam numa área total de aproximadamente 33 mil m2 à razão de 9 por metro quadrado. Ou seja o camarada Arménio encolheu cada manifestante para caber num rectângulo de 20 cm por 50 cm e convenceu-o a empacotar-se com 8 vizinhos num metro quadrado.

É mais uma aplicação do trilema de Žižek. Poderia o camarada Arménio fazer o favor de aplicar o seu método à dívida pública?

300 mil? Talvez 30 mil (visto aqui)

Sem comentários: