Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

17/02/2012

Lost in translation (134) – não mexam no nosso queijo, deveriam eles dizer

Perante as novas regras de mobilidade funcionários públicos, uma deputada do BE fez uma declaração política no parlamento classificando a mobilidade geográfica como «despedimento encapotado de milhares de trabalhadores» e garantindo que o governo pretende com isso aumentar o desemprego sob o lema «se não estão bem, mudem-se».

A deputada Mariana Aiveca que foi numa outra encarnação assistente administrativa da Segurança Social e agora é profissional do sindicalismo e do agitprop, deveria ter um módico de senso e perceber que os funcionários públicos em termos relativos estão até muito bem e é por isso que não querem mudar, nem de geografia, nem de coisa nenhuma. A maioria dos funcionários públicos julga-se inamovível por natureza com um direito adquirido a uma sinecura vitalícia paga com impostos extorquidos.

Sem comentários: