Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

25/02/2012

DEIXAR DE DAR GRAXA PARA MUDAR DE VIDA: Quotidiano de desleixo, incompetência e negligência (1)

Esta nova subsérie de posts visa ilustrar atitudes e comportamentos do dia-a-dia que fazem de nós um país desperdiçado em que pouca gente sinceramente acredita. É uma espécie de contra a corrente do graxismo cultivado por políticos, intelectuais desempregados, artistas sem públicos, empresários do regime e em geral luminárias que ora tentam manter a populaça chafurdando na mediocridade ora, reconhecendo-a, a justificam com a lengalenga da vitimização dos desgraçadinhos, alimentando o círculo vicioso e assim garantindo que teremos desgraçadinhos até ao fim dos tempos.

A subsérie começa com o lixo. Ou, mais exactamente, com os caixotes de lixo que os gestores de recolha (deve ser assim que se chamam) da câmara de Oeiras largam destapados no meio da rua, com estudada e sistemática incúria. Estas vítimas da sociedade que recebem além do salário vários subsídios por trabalharem de noite com materiais «perigosos» ainda têm o atrevimento de ir porta-a-porta tentar extorquir dinheiro aos munícipes no Natal.

Sem comentários: