Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

26/11/2016

DIÁRIO DE BORDO: Com 57 anos de atraso, morreu Fidel Castro

Para bem dos cubanos e da humanidade, Fidel Castro bem poderia ter morrido logo a seguir ao dia 8 de Janeiro de 1959, depois de derrubado Batista, poupando muitas vidas, a miséria e a opressão que a sua ditadura comunista-familiar impôs ao povo cubano. É certo que isso impediria o presidente Marcelo dos Afectos de ir a Havana prestar homenagem a um ditador, mas sempre poderia ter ido visitar a campa de um libertador, tivesse Castro batido a bota depois de cumprida a missão,

1 comentário:

Lura do Grilo disse...

Nem mais: esta barreira mediática lava mais branco uma besta doentia.