Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

29/11/2016

CASE STUDY: Trumpologia (1) - Regras para prever o imprevisível

Regra um: preste mais atenção ao que o presidente eleito faz do que ao que diz. A sua escolha de nomeações para o governo é certamente um melhor indicador do que tweets antigos. Contudo, como não sabemos quem ele vai ouvir e quem ele vai ignorar - ou quem será o primeiro a ouvi-lo dizer "Você está demitido!" - confiar demasiado nas suas escolhas também pode ser um erro. 

Regra dois: preste atenção ao que o presidente pode fazer unilateralmente (rotular a China como manipulador de moeda ou reverter, regulamentos ambientais) e não confunda com o que exige uma aprovação do Congresso (investimento em infraestrutura, construção de muros).

(Lido no Economist Espresso)

Sem comentários: