Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

19/10/2015

Exemplos do costume (36) - Exercícios de vacuidade gongórica do candidato Sampaio da Nóvoa (4)

Outros exercícios.


Apesar do título, este post não é sobre a vacuidade gongórica de da Nóvoa, mas sobre a inutilidade - da vacuidade, entenda-se, e não da candidatura que essa nunca careceu de demonstração.

Recapitulando: da Nóvoa constituiu-se candidato levado por uma vaga de fundo composta por umas dúzias de indefectíveis de Soares que a impuseram a um pusilânime Costa. Não tardou que a pusilanimidade cobrasse os seus dividendos e da Nóvoa ficasse a falar sozinho na companhia da esperança de um apoio da esquerdalhada mais extrema. Até que.

Até que, em poucos dias, os berloquistas anunciaram a candidata Maria Matias e os comunistas avançaram o candidato Edgar Silva, um ex-padre que substituiu o fervor católico pelo fervor marxista.

Sem comentários: