Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

18/10/2015

CAMINHO PARA A INSOLVÊNCIA: De como o melhor que pode acontecer ao paraíso prometido aos gregos pelo Syriza é ser um purgatório (XL) – Um passo para a frente, dois passos para trás

Outros purgatórios a caminho dos infernos.

Quase dez meses decorridos das eleições de Janeiro e um mês das segundas eleições de Setembro em que perdeu 320 mil votos e 4 deputados o Syriza reconstitui a mesma aliança espúria com o xenófobo e ultranacionalista Anel para a acabar a aceitar um pacote de medidas mais duro do que as que tinha rejeitado.

As medidas desse pacote foram na passada 6.ª feira aprovadas pelo parlamento grego por 154 votos a favor e 140 contra com os votos da Nova Democracia a favor de umas medidas e contra outras. Por incrível que pareça, Tsipras, o maior flip flopper grego pelo menos desde a queda do regime dos coronéis, acusou a Nova Democracia de fazer flip flop ao votar o acordo de resgate em Agosto e rejeitar algumas das medidas em Outubro.

Entre as medidas do pacote da iniciativa do governo em troca de outras acordadas com a troika, encontra-se o corte médio de 11% nas pensões acima de mil euros, a imposição de um tecto de dois mil euros na soma das pensões de um reformado.

ekathimerini
Que pouca gente pareça ter-se interrogado sobre o propósito da agitação que a Grécia viveu durante 9 meses para ficar em pior situação do que a de partida, mostra bem a actualidade da dúvida de Einstein sobre a infinitude do universo e da sua certeza sobre a infinitude da estupidez humana.

Sem comentários: