Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

10/04/2015

Encalhados numa ruga do contínuo espaço-tempo (34) - «Esse estranho lugar onde Le Pen e Louçã se encontram»

«O regresso de um discurso nacionalista radical não é hoje um exclusivo da extrema-direita, é também, e cada vez mais, uma normalidade para a esquerda radical. E não digam que exagero, pois já estamos a assistir a isso mesmo, ao directo e ao vivo, na Grécia. A aliança entre o Syriza e um partido nacionalista da direita radical não nem resultou de um acaso, ainda menos de uma necessidade, resultou de uma real coincidência de objectivos, de retórica e de métodos

A quem não leu, recomenda-se a leitura integral deste artigo de opinião de José Manuel Fernandes no Observador. Ao relê-lo, passadas 2 semanas, ocorre-me que talvez estas proximidades espúrias e imprevistas radiquem no papel central que ambas as correntes atribuem ao Estado como instrumento indispensável para impor ideologias que o jogo democrático em circunstâncias normais nunca consentiria.

Sem comentários: