Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

15/04/2015

CASE STUDY: Salário mínimo e desemprego - unintended consequences (2)

Continuação de (1)

Sabendo-se que correlação não é causação e que, por isso, o facto de o aumento do desemprego, sobretudo do desemprego jovem, estar historicamente correlacionado com o aumento do salário mínimo não significa necessariamente uma relação causal, pergunto: não é impressionante o padrão evidenciado no quadro seguinte (roubado de O Insurgente)?


Como é possível, pergunto-me também, resmas de luminárias deste país efabularem sobre o aumento do desemprego, desde Setembro do ano passado quando aumentou o salário mínimo, sem por um momento penetrar nas suas coriáceas meninges a dúvida sobre se uma coisa não contribuiu para a outra? Sobretudo quando se sabe que o impacto desse aumento foi na faixa de salários onde são contratados a maioria dos jovens.

Sem comentários: