Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

15/12/2012

Um contributo para o estudo da função zingarilho reversível aplicada à dívida pública e aos ministros das Finanças


Em conclusão, podemos inferir dos dados históricos uma função zingarilho (ou zangarilho) reversível, do tipo «quanto mais, mais» : quanto mais ministros das Finanças/dívida pública, mais dívida pública/ministros das Finanças (ceteris paribus).

Em resultado desta inferência deveríamos logicamente implorar ao actual ministro das Finanças Vítor Gaspar para assegurar a permanência no posto até a dívida pública retornar ao limiar de 60% do PIB, ou até à idade da reforma ou nos próximos pelo menos 40 anos (o que ocorrer primeiro).

1 comentário:

Anónimo disse...

Havia uma historia do botas sobre o tenreiro, relativa a rapinanço e rotatividade dos lugares..."nao mudo, pq como já está cheio, não precisa de roubar tanto..."
Antonio