Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

02/12/2012

Pro memoria (82) – São todos iguais? Uns são mais iguais do que outros. (2)

Circulam em média por dia na A24, que liga Chaves a Viseu, 4 mil veículos - como habitualmente, o tráfego efectivo é uma fracção das previsões do estudo de viabilidade. Além da portagem, cada um desses veículos custa aos contribuintes que lá não circulam 79 €, para remunerar este ano 119 milhões de euros ao consórcio concessionário Eiffage/Sonae que investiu 726 milhões. (Dados do Expresso)

Este é apenas um dos muitos contratos de PPP ruinosos que o governo de José Sócrates assinou com taxas implícitas 3 ou 4 vezes as taxas da dívida pública. Tudo porque estes contratos permitiram desorçamentar investimentos em elefantes brancos e chutar para as próximas décadas os respectivos custos.

Quem chutou para a frente também já tentou chutar para trás. Recordemos quem mais chutou para a frente e para trás, para limpar a folha e responsabilizar governos anteriores:
Diagrama de Pinho Cardão do 4R

Sem comentários: