Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

04/12/2012

Finalmente a verdade sobre a candidatura de José Sócrates a Sciences-Po?

Depois da morte em Abril de Richard Descoings, o antigo director da Sciences-Po, uma auditoria da Cour des Comptes veio a revelar «numerosas irregularidades» na gestão da escola que tem metade do seu orçamento garantido pelo Estado francês. Em 5 anos o subsídio estatal aumentou 1/3 e as despesas dispararam, devido ao incremento do pessoal administrativo e aos generosos salários praticados - por exemplo, o de cujus auferia meio milhão de euros anuais. A auditoria revelou ainda endividamento de risco.

Onde é que já vimos estórias parecidas? Como é sabido, a Sciences-Po conta desde meados do ano passado com um aluno com um notável currículo nessas matérias, como pode ser confirmado pelo FMI, a CE, o BCE, e os portugueses que já acordaram do sonho de serem ricos.

Terá sido isso por esse inegável currículo que José Sócrates conseguiu ser admitido? A ser assim, confirma-se sem fundamento o boato de a candidatura de Sócrates ao mestrado em Sciences-Po ter sido recusada duas vezes e só ter sido finalmente aceite com a intervenção do embaixador Seixas da Costa, e, em conclusão, o homem foi admitido pelos seus méritos.

Sem comentários: