Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

09/12/2012

A cacofonia dos mendicantes ou se o ridículo fosse mortal estariam todos mortos

Alguém me pode explicar porque se expõem a fazer figuras ridículas deles próprios e do país, numa espécie de concurso de mendicantes em que a oposição participou entusiasticamente, o ministro das Finanças Vítor Gaspar primeiro, o primeiro-ministro Passos Coelho depois, o presidente Cavaco Silva de seguida e, não conseguindo ficar calado, Portas, não se sabe se na qualidade de ministro dos NE, se de líder do CDS, se de representante da oposição no governo, pedindo para a Portugal serem aplicadas as condições do bailout, ao mesmo tempo que protestavam ser o caso de Portugal diferente da Grécia? E, se não for pedir muito, alguém me explicará o propósito de Marques Mendes ao fazer de professor Marcelo popularucho?

À falta de uma visão para o país, esta gente desdobra-se em sound bites para atrair os holofotes do jornalismo de causas. Com elites destas chegámos até aqui, mas não vamos muito longe.

Sem comentários: