Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

10/12/2012

¿Por qué no te callas? (14) – José Barroso, sempre com um olho no burro e outro no cigano

É um cansativo ouvir ou ler as inúmeras declarações, sob qualquer pretexto e a qualquer propósito ou despropósito, que o presidente da Comissão Europeua produz quase diariamente sobre Portugal, para destinatários portugueses e através de mensageiros que são jornalistas de causas portugueses ao serviço da causa de José Barroso.

É cansativo mas não surpreendente. De facto, vindo de alguém que alavancou o cargo de primeiro-ministro de um país periférico, abandonando-o numa época crítica, para se lançar para o topo da eurocracia, não surpreende que alavanque um cargo no topo da eurocracia para se lançar para o topo de uma república periférica.

LEMA: «Os cidadãos deste país não devem ter memória curta e deixar branquear as responsabilidades destas elites merdosas que nos têm desgovernado e pretendem ressuscitar purificadas das suas asneiras, incompetências e cobardias.»

Sem comentários: