Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

17/12/2003

ESTÓRIA E MORAL: Perder o Big Brother ou aceitar as vítimas dos escombros?

Estória
Segundo uma sondagem RTP/PÚBLICO, 75 por cento dos inquiridos responderam não à pergunta "Concorda com a vinda de mais imigrantes para Portugal?". No escalão etário 45-64 anos, o não atinge mais de 80 por cento dos inquiridos.
Alguém devia dizer aos inquiridos e aos portugueses em geral que ou desgrudam do Big Brother, levantam a bunda do sofá e vão para a cama mais cedo, trabalhar para a reforma, se dispõem a sacrificar o segundo chaço e as férias no apartamento da Quarteira para dispor duns dinheiros para mais um ou dois putos, ou então têm que escolher entre as vítimas dos escombros do comunismo e as vítimas dos escombros do colonialismo português dos dois lados do Atlântico.

Moral
Folguemos enquanto podemos, outra hora choraremos (ditado popular).

Sem comentários: