Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

01/12/2003

AVALIAÇÃO CONTÍNUA: O remédio do doutor Soares – mais do mesmo.

O doutor Mário Soares não pára. No sábado esteve em Espinho no PS local a pugnar, neste mundo em globalização selvagem, pelas políticas sociais ousadas ... para tirar o País da crise e desolação em que está a viver, recusando “menos estado”.
É um case study de esquerdismo senil, cuja particularidade, segundo a minha amiga doutora Ana, psicóloga pela Sorbonne, e sociológa e antropóloga nas horas vagas, reside no episódio, em boa hora acontecido e agora recalcado, do é preciso pôr o socialismo na gaveta da sua época de primeiro ministro. Foi o engavetamento que tornou possível ao doutor Ernani Lopes fazer o que lhe mandou a doutora Teresa Terminessian do FMI, limpando o terreno onde se cultivou, bastante a trouxe-mouxe, reconheça-se, uma década de prosperidade.
Três merecidos bourbons para o doutor Soares.

Sem comentários: