Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

19/12/2003

ESTÓRIA E MORAL: O resultado da guerra pode influenciar as eleições numa democracia, como numa ditadura.

Estória
Na entrevista do dia 16 a Diane Sawyer da ABCNEWS, questionado sobre as próximas eleições em 2004, Bush comentou:
"Everybody's beatable in a democracy ... And that's the great thing about a democracy. People get to make that decision. I know how I'm voting."
Uma sondagem New York Times/CBS revelou um aumento da taxa de aprovação de Bush de 52 para 58 por cento, e uma redução da desaprovação de 40 para 33 por cento, subsequente à detenção de Saddam.
Saddam nunca teve que se preocupar com minudências de aprovação ou desaprovação, e já sabia o resultado das eleições ainda antes delas terem lugar.

Moral
Numa democracia o resultado duma guerra pode influenciar o resultado das eleições. Numa ditadura também.

Sem comentários: