Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

18/12/2003

AVALIAÇÃO CONTÍNUA: Pior que a ignorância, é a ignorância da ignorância.

Secção Assaults of thoughts
A Plain English Campaign meteu-se com o Donald Rumsfeld atribuindo-lhe o prémio Foot in Mouth pela sua seguinte frase dita no princípio deste ano numa conferência:
"Reports that say something hasn't happened are always interesting to me, because, as we know, there are known knowns, there are things we know we know. We also know there are known unknowns; that is to say, we know there are some things we do not know. But there are also unknown unknowns - the ones we don't know we don't know."
Quem não concorda com o prémio é o Guardian que, apesar dos seus elevados padrões de escrita, ou talvez por isso mesmo, escreve no dia 3 no leader Know your enemy":
This is indeed a complex, almost Kantian, thought. It needs a little concentration to follow it. Yet it is anything but foolish. It is also perfectly clear".
Quem é o Impertinente para discordar?
Para premiar o almost Kantian thought, so simply expressed in good Anglo-Saxon words, o Donald leva 3 afonsos. As luminárias politicamente correctas da Plain English Campaign levam 3 urracas para premiar a falta de little concentration e 5 chateaubriands pela ignorância da sua ignorância. E ainda o prémio especial do Impertinente: Foot in Ass.

Sem comentários: