Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

02/12/2003

BLOGARIDADES: O que é preciso para sair da depressão? Gajos tesos que não gostem de perder nem a feijões.

O A Causa Foi Modificada (mais uma vez) produziu o texto Eu é que percebo disto!, que o Impertinente recomenda vivamente. O documento aborda o magno problema da crise dos lagartos, que não sendo novidade – dura há décadas, praticamente desde o abandono dos cinco violinos, não deixa de ser um paradoxo para quem tem a melhor gestão dos futebóis, diz A Causa e concorda o Impertinente.
Não querendo minimizar os futebóis que, como se sabe, são ainda a única esperança dos nossos produtos marcarem pontos nos mercados internacionais, e são dos poucos interesses persistentes que animam a alma cadaverosa da nação, mas, pedindo desculpa pelo incómodo, transporto a questão dos lagartos na Alvaláxia para a arena nacional na Portugaláxia.
Na Portugaláxia, como na Alvaláxia, o que nos embaraça é excesso de Fernandos Santos, satisfeitos e acomodados, borrados de medo de assumir desafios e riscos, e a falta de Josés Mourinhos, gajos tesos que não gostem de perder nem a feijões.

Sem comentários: