Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

29/06/2018

TIROU-ME AS PALAVRAS DA BOCA: Ai podemos, podemos!

«Mas uma sociedade anestesiada é uma sociedade que foge à realidade. Não podemos continuar a empurrar os problemas com a barriga e a passar a fatura para os nossos filhos e netos, que herdarão um país endividado, envelhecido e cada vez menos povoado. Não podemos continuar a ser governados por uma classe política que sobrevive em função de clientelas e corporações, comprando os votos de que precisam para conquistarem o poder. Não podemos continuar a ter um Estado que devora uma fatia cada vez maior da riqueza produzida pelos portugueses,  sem que ao mesmo tempo procure ser mais eficiente e prestar um melhor serviço aos cidadãos. Até porque, convém não esquecer, é o Estado que existe por causa das pessoas e não o contrário.»

Filipe Alves no Económico

1 comentário:

Ricardo disse...

O que está na "moda" (para quem procura o voto e para quem vota em geral) é o curto prazo e o umbigo de cada um(e todo o sistema político-mediático está assim orientado)e o futuro diz muito pouco aos "herdeiros" do abrilismo(curiosamente os ainda vivos "capitães" agora parecem conviver bem com a situação,só no anterior des-governo é que estavam indignados ao ponto de faltarem ao "ritual abrilista" no parlamento o qual é agora novamente"progressista")