Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

02/06/2018

COMO VÃO DESCALÇAR A BOTA? (18) - A meta de Belém é mais ambiciosa do que a de S. Bento

«"A meta (de integrar os sem abrigo) é para cumprir. É evidente que haverá sempre aqueles que queiram ficar na rua. Mas é uma minoria. A expectativa é de que a grande maioria tenha até 2023, na minha meta, ou até 2024, na meta do Governo, condições de saúde, habitação e empregabilidade para deixar a rua", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, depois de jantar, com vários sem-abrigo, bacalhau gratinado "à avó" e duas taças de gelatina na Associação dos Albergues Noturnos do Porto (AANP).» (Público)

Admitamos que Marcelo e Costa estão a falar da mesma coisa, o que implica entenderem-se sobre o que seja:
  • Um sem abrigo
  • Integrar um sem abrigo
  • Condições de saúde, habitação e empregabilidade para deixar a rua
  • Uma grande maioria 
O que irá fazer, como e com que dinheiro irá o governo proporcionar quais condições de saúde, quais habitações e quais empregos para quais sem abrigo deixarem a rua até 2024? E, se não for perguntar demasiado, o quê, como e com que meios irá Belém antecipar de um ano as medidas necessárias?

E, já agora, onde estará Marcelo em 2023? Pode estar em Cascais. E onde estará Costa em 2024? Pode estar em Belém.

Seja como for, nós vamos fazer o possível por estar por aqui para fazer a cobrança.

Sem comentários: