Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

05/06/2018

Dúvidas (223) - Quem disse o quê?

Adivinhe quem disse a propósito do corte dos fundos comunitários a Portugal:

É preciso fazer voz grossa a Bruxelas” e “Mais do que voz grossa, é preciso argumentar”.

Se pensa que o líder comunista Jerónimo de Sousa disse a primeira frase e a líder centrista Assunção Cristas disse a segunda, é porque ainda não reparou nas virtudes soporíferos que a geringonça tem sobre os seus constituintes, em contraste com as influências radicalizantes da oposição. Na verdade, Cristas disse a primeira frase, Jerónimo sossegou-a com a segunda e nenhum deles queria significar aquilo que disse.

1 comentário:

Oscar Maximo disse...

Sacar aos próprios contribuintes dá muito nas vistas, assim é melhor criar um imposto europeu, e cada um saca aos contribuintes vizinhos, sob a designação de ajudas.