Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

27/07/2015

Paineleiros escolhidos a dedo


Não ver noticiários, entrevistas ou comentários políticos na televisão, supondo ser possível distinguir uns de outros, priva-me de descortinar o deus ex-machina por trás dessas encenações. Como foi o caso, percebo agora ao ler os posts (este e este) de Helena Matos no Blasfémias, da montagem do painel de perguntadores na entrevista a Passos Coelho. Faziam parte do painel um ex-dirigente da Juventude Berloquista, um jornalista estagiário da TVI e um advogado consultor de Jorge Sampaio durante 10 anos - compare-se com o painel de que desfrutou o ungido Costa.

Imagine-se quando o futuro primeiro ministro de Portugal for entronizado e o PS ocupar ao governo com as mãozinhas mais próximas dos cordelinhos, a impunidade e o silêncio cúmplice que os mídia infestados de esquerdalhada lhe garantem.

1 comentário:

Antonio Cristovao disse...

Os oculos coloridos têm uma clientela transversal; não se é eficaz se só se vê com meio olho.