Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

05/07/2015

ACREDITE SE QUISER: A nódoa cai em qualquer pano

«Afinal, o cabeça-de-lista do Livre/Tempo de Avançar no Porto é Ricardo Sá Fernandes. O advogado ficou em terceiro lugar nas eleições primárias da candidatura cidadã mas as suspeitas de irregularidades nos votos atribuídos a Daniel Mota, até agora o candidato a deputado mais votado, levaram à recontagem dos votos e à reorganização da lista. 

A decisão foi tomada na Comissão de Ética e Arbitragem do Livre/Tempo de Avançar após a entrada de várias queixas dando conta das suspeitas que recaiam sobre a votação em Daniel Mota. A Comissão Eleitoral, presidida por Luís Moita, procedeu então à recontagem dos votos, considerando inválidos os votos por correspondência que tinham como primeira opção o candidato Daniel Mota.» (Jornal SOL)

Não é surpreendente que tenham ocorrido fraudes nas primeiras eleições de uma organização de dissidentes da esquerdalhada que quer promover a unidade de todos os dissidentes actuais e potenciais e purificar as práticas políticas? Não.

1 comentário:

Unknown disse...

Surpreendente é haver tanto tanso para acreditar em fantasias; como se tivessemos começado a democracia este ano e não houvesse historia que os alerte para o que grupelhos e fantasias identicas conseguem realizar.
E a Grecia aqui tão perto, já que Venezuela fica mais longe onde podem ver in loco o que se consegue no dia a dia provar falando com passarinhos e com Putin.