Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

04/07/2015

Lost in translation (244) – Guerra civil, disse ele

O Dr. Domingues de Azevedo é o bastonário dos técnicos oficiais de contas ou TOC para os iniciados. Não se pense por isso que é uma pessoa cinzenta possuída pelo que os socialistas costumam apelidar depreciativamente uma «mentalidade de contabilista». De modo algum, ele é um tribuno sempre à frente das grandes causas, a apontar novos caminhos e a criticar a governação com uma linguagem colorida (veja esta entrevista do jornal i), inesperada em quem lida com o deve, o haver e as partidas dobradas.

«Vamos assistir a uma guerra civil» (a propósito das declaração de IRS em 2016) ou «É uma vergonha o que se passou e o que se continua a passar. É a conceptualização de uma política espectáculo, sem dignidade. É um abandalhar.» (a propósito do sorteio das facturas) são exemplos da sua visão de militante de causas.

Se já tínhamos o jornalismo de causas, fazia-nos falta a contabilidade de causas.

1 comentário:

Lufra disse...

Conheço muito canalha que não se comporta como este senhor.