Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

28/07/2015

Dúvidas (112) – O que qualificará a(o) Júlia(o) para ser deputada(o)?

«Júlia Pereira poderá ser a primeira deputada transexual a sentar-se num dos lugares da Assembleia da República, após ter sido colocada na lista candidata às legislativas pelo Bloco de Esquerda de Setúbal, e num lugar onde é possível ser eleita.» (Fonte)

Era uma Júlia que virou Júlio ou era um Júlio que virou Júlia?

Se é por ser transexual, não deveríamos ter também candidatos assexuais, ou de sexo mutante, ou esquizofrénicos, ou paranóicos, ou bipolares, ou obsessivos-compulsivos?

[Não precisam de me dizer. Sei que também sou diferente. Sou um porco sexista.]

2 comentários:

Lufra disse...

Dantes era proibido: artigo 14º do RDM.
Depois passou a ser consentido.
Hoje é incentivado.
Amanhã deve vir ser obrigatório.
Pelo menos para alguns grupelhos e partidecos.

Anónimo disse...

Fique descansado, seu porco sexista.
Ainda é consentido, e poderá a vir a ser obrigatório.
Abraço