Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

25/04/2014

O título mais estúpido do ano (até agora) para um texto que consegue superá-lo

«Solidariedade" da troika custa 124 milhões por mês só em juros» titula o ionline. Como se o título não fosse só por si bastante estúpido, quando se sabe que estamos a pagar no programa de assistência os juros mais baixos que alguma vez pagámos na nossa história, o que segue arrisca-se a ser um paradigma de incompetência e manipulação primária num estilo panfletário. Cito apenas alguns trechos arriscando o vómito dos leitores:

«Só em juros e comissões, crédito europeu ao governo PSD/CDS já custou 3,34 mil milhões de euros aos contribuintes. Entretanto, a dívida não pára de subir.» Como se os juros não resultassem das respectivas mais baixas de sempre. O plumitivo espanta-se com a subida da dívida não compreendendo que o défice de um ano é dívida do seguinte.

«… o preço a cobrar aos contribuintes portugueses pelo empréstimo solidário.» Onde terá a criatura aprendido a escrever tais besteiras?

«DIREITA CADA VEZ MAIS GORDA…» Aqui a criatura distraiu-se.

«Quanto ao défice, em Março explodiu: nos dois primeiros meses do ano o valor estava nos 38 milhões e agora, considerando todo o trimestre, o défice ascende a 825,5 milhões, valor que compara com os 1,358 mil milhões registado até Março de 2013 - isto pelo critério da troika.» O que explodiu foram as meninges do escrivão.

«Apesar da quebra de 3,7% nas despesas com pessoal nos primeiros três meses do ano, a Administração Central continua a aumentar o seu nível de despesa este ano: entre Janeiro e Março a despesa efectiva foi de 13,245 mil milhões, contra os 12,987 mil milhões de 2013. Para esta subida também contribuiu o aumento da factura passada aos contribuintes pelos juros da dívida pública». Fará a criatura uma ideia mínima sobre o que escreve?

Só tenho uma explicação: o jornalista publicou a peça às 5 horas e deve tê-la escrito sob o efeito de substâncias alucinogénias uma hora antes - ou seja às 4 da madrugada ouvindo o passarinho cantar.

4 comentários:

Anónimo disse...

Ainda bem que vós tendes pachorra.
Este "defeito" tem com como efeito anunciar — aos pobres que "não podem ir a todas" — as alarvidades que se dizem e se escrevem por aí fora.
Tendes quase razão: o alarve escreveu aquilo mas foi após ouvir a passarinha a cantar. Deve ser maria pois eu até escrevia como o Fialho depois de ouvir uma passarinha.
abraço do eao

bloody mary disse...

Com esta comunicação social inquinada e tendenciosa não pode haver opinião pública esclarecida. Esquerdalhada rules!

murphy V. disse...


Post "linkado" aqui:

http://jornalismoassim.blogspot.pt/2014/04/comunicacao-social-verdadeira-oposicao.html

Com a sugestão de outro candidato ao troféu...

Cumprimentos

Pertinente disse...

Caro Murphy V.
Obrigado.
Einstein disse que havia duas coisas infinitas: a estupidez humana e o universo; quanto ao universo não tinha a certeza.