Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

14/04/2014

Mitos (165) - a pesada herança da longa noite fascista (X)

No lugar do jornalismo de causas e das figuras de cera do regime, pensaria duas ou mais vezes em aproveitar as festividades das comemorações dos 40 anos da queda do Estado Novo para colocar em confronto as suas realizações com as do Estado a Caminho do Socialismo, entretanto reconvertido em Estado Social. Ambos duraram praticamente o mesmo tempo, descontando a diferente duração dos respectivos PRECs com a tropa em destaque em ambos: o PREC fassista durou de 7 anos de 1926 a 1933 e o PREC socialista durou 19 meses.

Em particular, o jornalismo de causas e as figuras de cera do regime não deveriam promover sondagens ao povo ignaro, como estas:

Sondagem i/Pitagórica publicada no ionline

Já agora, não se lembrem de perguntar se a populaça acha mais confiável o general Gomes da Costa ou o general Costa Gomes. Ou se acha mais mentiroso o professor António Oliveira Salazar ou o engenheiro José Sócrates Carvalho Pinto de Sousa.

Sem comentários: