Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

17/04/2021

ARTIGO DE DEFUNTO: É preciso um grande descaramento

À esquerda recorte da 1.ª página do CP do Expresso de 17-04; à direita evolução da Carga Fiscal nos últimos 25 anos

Como se sabe, o aumento em 2011-2012 do IRS e de outros impostos resultou das condições do resgate negociadas pelo governo socialista de José Sócrates, no quadro da bancarrota. Desde que tomou posse no final de 2015, o governo do Dr. Costa anunciou o fim da austeridade e desde então a carga fiscal não parou de aumentar. Nestas circunstância, teria sido um enorme descaramento se o Dr. Leão tivesse dito que «recusa descer IRS que Gaspar aumentou» como o Expresso insinua que tenha dito.

Na verdade, o Dr. Leão não disse que recusa descer o IRS e não disse que Gaspar o tenha aumentado. Embora tenha dito outras coisas que pressupõem descaramento, neste caso em particular o grande descaramento é do Expresso que faz uma chamada na 1.ª página tentando manipular subliminarmente o córtex dos leitores, chutando o odioso para cima do governo PSD-CDS e limpando a folha do governo socialista. Ao fazê-lo, o semanário de reverência mostra-se, uma vez mais, uma espécie de Acção Socialista à paisana.

Sem comentários: