Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

21/12/2016

TIROU-ME AS PALAVRAS DA BOCA: Esta espécie de jornalismo é uma vergonha

«A primeira escola pública aparece em 42º lugar no ranking, mas o destaque, pela positiva, é dado às escolas públicas e, pela negativa, às privadas.

Estes tipos não são jornalistas. São sequazes de um regime político que arruinou o país.

Num regime democrático, a função do jornalismo é a de servir de filtro entre os políticos e a população, distinguindo a verdade da mentira, a boa acção governativa da má, o uso legítimo do poder do seu abuso.

Nada disto está presente nesta espécie de jornalismo - apenas o seu contrário.»

Pedro Arroja no Portugal Contemporâneo

É esta espécie de jornalismo que Baptista-Bastos baptizou de «jornalismo de causas», fazendo história sem o saber como M Jourdain de Molière dizia prosa.

1 comentário:

Anónimo disse...

Perdoai a correcção:

jornalismo-de-causas