Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

30/12/2016

ACREDITE SE QUISER: Homens-objecto


Os actores masculinos começam, por fim, a queixar-se de serem "objectificados" pelas fãs do sexo género feminino. Kit Harington, uma estrela de "Game of Thrones", diz que é "degradante" ser "colocado em um pedestal como um pedaço de carne". Henry Cavill, que protagoniza Superman, queixa-se de um "duplo padrão".

Segundo um estudo da USC Annenberg a "hiper-sexualização" dos homens nos filmes aumentou nos últimos anos. Dos 100 filmes de maior audiência nos Estados Unidos em 2007, 4,6% dos personagens masculinos foram vistos em "trajes sexualizados" e 6,6% "com alguma nudez". Em 2014, esses valores foram de 8,0% e 9,1%. 2013 marcou o ponto mais alto desta tendência, com 9,7% dos personagens masculinos em roupas sexualmente atraentes e 11,7% tirando alguma (ou todas) as peças do seu vestuário.

[Lido no Economist Espresso]

Sem comentários: