Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

18/12/2016

Nem só o Estado é amigo do empreendedor (9) - A maldição do jornalismo promocional – uma inversão

Como se poderá confirmar em outros posts desta série, o jornalismo promocional - uma variedade do jornalismo de causas - está frequentemente associado a uma maldição que leva as empresas promovidas a passar pelas maiores trapalhadas e no limite algumas delas a desaparecerem.

O caso ilustrado pela imagem seguinte é diferente. A empresa em causa tem uma longa experiência de trapalhadas antes de o jornalismo promocional lhe dedicar outra vez a sua extremosa atenção. Neste caso as trapalhadas precedem a promoção que fica a parecer um resgate de imagem.

Caderno de Economia do Expresso de 17-12-2016

Trata-se do Grupo Lena. Sim, esse mesmo Grupo Lena envolvido até ao pescoço nas embrulhadas do Eng. Sócrates. Só para recordar, dois títulos recentes do mesmo dia (16-09-2016): «Presidente do grupo Lena confessa subornos a Sócrates» «Grupo Lena desmente pagamentos a Sócrates» de um jornal «inimigo» (CM) e de um «amigo» (JN).

O artigo do Expresso é um paradigma do jornalismo promocional de que o jornal é um exímio praticante, nomeadamente no seu caderno de Economia, recheado de press releases disfarçadas de artigos geralmente assinados apenas pelas iniciais. Neste caso a promoção é prejudicada pela foleirice da foto do presidente. Sim, esse mesmo presidente citado nos dois referidos jornais.

Sem comentários: