Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

20/12/2016

COMO VÃO DESCALÇAR A BOTA? (1)

Uma nova secção do (Im)pertinências onde serão recolhidos para memória futura os juízos laudatórios do desempenho do zingarelho inventado por António Costa, composto por PS, PCP e BE e baptizado de geringonça, juízos produzidos pelos comentadores (incluindo o residente em Belém), opinion dealers e jornalistas de causas que a têm levado ao colo.

O primeiro post é dedicado a Nicolau Santos com um excerto da sua coluna habitual no caderno de Economia do Expresso onde o nosso pastorinho favorito da economia dos amanhãs que cantam se congratula pelo desempenho do chefe da geringonça a quem se devem as ultrapassagens das várias catástrofes anunciadas.

«Que pessoas e factos marcaram a economia portuguesa em 2016? À cabeça, o primeiro-ministro, António Costa. É sobretudo a ele que se devem as ultrapassagens das várias catástrofes anunciadas. Era o Orçamento do Estado para 2016 que não teria o apoio do BE e do PCP. Teve. Era o OE-2016 que não passaria na Comissão Europeia e no Eurogrupo. Com algumas correções passou. Era a sua execução que iria falhar. Não falhou. Eram as sanções europeias por causa do défice de 2015. Não houve. Era a agência de notação canadiana DBRS que iria descer o rating da dívida pública para lixo. Também não aconteceu. Era a elaboração do OE para 2017 que levaria a coligação governativa a rebentar. Não rebentou. Era o processo de recapitalização da Caixa Geral de Depósitos, que não seria aceite em Bruxelas. Foi e não é considerada ajuda de Estado.» (Acção Socialista Expresso de 17-12-2016)

Sem comentários: