Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

23/12/2016

Mitos (248) – Plantar árvores é bom para o ambiente

Em consequência do reflorestamento compulsivo da Califórnia durante os últimos 100 anos, em seguida a cada um dos múltiplos incêndios, com grande gáudio dos ambientalistas, a densidade das árvores multiplicou-se por seis, na maior parte árvores mais pequenas do que as primitivas.

Em consequência, a existência de mais combustível alimentou incêndios cada vez mais frequentes e de intensidade crescente a que se seguiram reflorestações cada vez mais vastas. As árvores mais velhas que no passado costumavam resistir aos incêndios foram desaparecendo e a densidade crescente de árvores absorveu cada vez mais água da chuva, suspendeu cada vez mais neve que se evaporou antes de chegar ao solo e aumentou drasticamente a evapotranspiração. Num ambiente cada vez mais seco a frequência e intensidade dos incêndios aumentou ainda mais.

Finalmente este processo que se auto-alimentava parece ter sido percebido e, com grande desgosto de alguns ambientalistas, os Serviços Florestais da Califórnia iniciaram um corte maciço de árvores para recuperar a densidade original.

Moral da estória, se é que a estória tem moral: nem sempre os ambientalistas fazem bem ao ambiente.

(Fonte)

Sem comentários: