Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

30/12/2016

ARTIGO DEFUNTO: Abusar dos adjectivos à míngua de substantivos adequados

«… escolher para o seu gabinete o racista, sexista e antissemita Stephen Bannon» escreveu a jornalista no Expresso Diário a respeito do chief strategist de Trump que aqui caracterizei como um doutrinador anti-elites, um dos inspiradores da Alt-Right e do Tea Party, auto-proclamado «nacionalista económico» que defende políticas keynesianas que fariam as delícias da nossa esquerda.

Chamar ao homem racista, sexista e antissemita só porque tem ideias que a jornalista não aprecia, ou talvez nem conheça ou não compreenda (leituras recomendadas: Hollywood Reporter e NYT), é comparável a chamar jacobina, estalinista e antidemocrata a uma jornalista alinhada com o BE, por exemplo.

Sem comentários: