Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

21/12/2016

Lost in translation (282) - O jornalês e o esquerdalhês em português

Como se sabe, o português é cada vez mais uma língua morta substituída por vários dialectos. Vou dar hoje dois exemplos com títulos em jornalês, ambos do Acção Socialista Expresso diário, um deles em jornalês puro e outro numa tradução do esquerdalhês. Aqui vão eles.


Tradução: o montante extorquido aos sujeitos passivos para pagar os calotes resultantes dos projectos inviáveis dos amigos do regime e para controlar as empresas que não são consideradas amigas do regime já atinge 8% do PIB.


Tradução: os berloquistas querem que os custos dos estudos universitários sejam pagos na totalidade nos próximos três anos por todos os sujeitos passivos, incluindo a maioria que não estudou, não estuda, nem estudará, nem tem filhos a estudar em universidades.

Sem comentários: