Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

07/11/2010

SERVIÇO PÚBLICO: Entre os piores dos melhores

A juntar às más notícias da semana sobre a situação financeira e económica, com a publicação do relatório da ONU sobre o Desenvolvimento Humano ficámos a saber que descemos 6 lugares para o 40.º e antepenúltimo lugar do grupo de países com elevado desenvolvimento humano, atrás de quase todos os países da UE, à excepção de 4 países do falecido império soviético. É interessante verificar que perdemos 6 lugares apesar de o valor do IDH de Portugal ter subido em 2010 de 0,791 para 0,795. Num mundo global competitivo não melhorar o suficiente é piorar porque os outros países não ficam parados.

A decomposição do IDH em relação a Portugal evidencia a influência dos factores desigualdade na educação e desigualdade no rendimento – os valores ajustados do IDH são respectivamente 0,670 e 0,575, muito inferiores ao valor não ajustado (0,795). Em contrapartida estamos (em 2008) em 21.º no ranking no que respeita à desigualdade entre sexos, apesar das queixas dos soldados da batalha dos géneros sexos, sempre insatisfeitos.

Teria sido uma consolação para o colapso do estado social na sua versão socrática Portugal ter subido no ranking do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da ONU. Falido o governo, insolventes muitas empresas e famílias, ajoujado o país sob o peso da imensa dívida contabilizada e suspeitada, não temos sequer o álibi da melhoria de qualidade de vida.

[Fonte: Human development statistical tables - Human Development Report 2010]

Sem comentários: