Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

14/11/2010

O ruído do silêncio da gente honrada no PS é ensurdecedor (31) – a cloaca inesgotável

É difícil imaginar uma criatura militante com um módico de integridade conseguir ler cada 6.ª Feira o rosário de alegadas golpadas envolvendo gente graúda do PS que o Sol publica regularmente. Desta vez são ainda as sequelas da operação Furacão, que passados tantos anos já deve ter virado brisa. São revelados pagamentos de 6 milhões de euros a quatro almas penadas (os Xis de 1 a 4) para olear a adjudicação da SCUT do Grande Porto à Mota-Engil (onde recorde-se presta serviços o antigo estradista Coelho) por um preço 40% superior ao da Ferrovial. O essencial da manobra passou-se nos tempos do governo Guterres I e derramou-se para os governos Guterres II e Barroso envolvendo possivelmente também gente do PSD.

E são também as sequelas da operação Face Oculta onde se conclui terem ocorrido manobras envolvendo Armando Vara, sempre ele, relacionadas com compras e permutas com uma engenharia tão sofisticada que eu confesso ter perdido a pachorra para a acompanhar.

Sem comentários: