Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

04/11/2010

Apesar de ser uma nódoa, cairá fragorosamente. Só não se sabe quando

Há um aspecto curioso na entrevista de João Marcelino a Medina Carreira, citada aqui. É a mudança de posição do director do DN, até recentemente um incondicional de Sócrates (não esquecer que o JM trabalha para o amigo António Oliveira). Esta entrevista, ainda para mais feita por ele próprio, seria impensável há uns meses. É mais um sintoma da queda iminente de JS. Será um processo uniformemente acelerado - à medida que as luminárias percebem que a coisa não tem salvação ganham coragem e fazem declarações criando distâncias ou, os mais afoitos, caiem em cima de JS, na esperança de apanharem o próximo comboio ou pelo menos mudar para outra carruagem do mesmo comboio. Nessa altura a populaça, perdão os eleitores, espicaçados pela fome (em muitos casos apenas a falta de grana para comprar um plasma maior) manifesta-se ruidosamente e o edifício JS, ainda há pouco aparentemente tão robusto, ruirá estrondosamente. Devia sair com benzina, como explicou Eça, mas o homem vai dar luta.

Sem comentários: