Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

10/02/2019

Um Rio cada vez mais parecido com um socialista (3)

Outras parecenças: (1), (2)

Já se sabia que Rui Rio é uma espécie de socialista tresmalhado e que a sua escolha de lugares-tenentes como Barreiras Duarte, Elina Fraga, Salvador Malheiro, etc., aproxima aquilo a que chama ética da ética republicana do Homo Socialisticus vulgaris.

Há contudo algumas diferenças. O socialista autêntico, do alto da sua superioridade moral, faz a coisa com maior desplante e sem vergonha e nem é preciso apontar o exemplo de José Sócrates, basta o de figuras menores como Carlos César e os casos triviais de empregos para a família.

No caso do lugar-tenente Salvador Malheiro, os episódios ridículos de andar a fugir aos jornalistas para esconder o uso do carro de luxo da câmara de Ovar ao serviço do Dr. Rio nunca seriam possíveis com um socialista autêntico que se passearia com grande arrogância dentro da berlina, borrifando-se para os jornalistas que ou, a bem, relevariam a coisa de motu proprio ou, a mal, a máquina de manipulação socialista limparia a folha do visado - quem se mete com o PS leva, como postulou em devido tempo o grande estradista Coelho.

Por isso, inspirado pelo cartaz a pedir sugestões, apresento a minha: ó Dr. Rio, peça ao Dr. Costa para o PS fazer uma OPA ao seu zingarelho porque é mais o que os une do que o que os divide.

1 comentário:

Carlos disse...

Deve ser por isso que abandonou as setinhas