Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

01/05/2017

DEIXAR DE DAR GRAXA PARA MUDAR DE VIDA: Já não somos pobres, somos mal agradecidos e irresponsáveis

Tenho dificuldade em ouvir discursos em geral e definitivamente não dou para o peditório dos discursos comemorativos do 25 de Abril. Fiquei por isso privado de apreciar os deste ano e só me apercebi da indigência mental a que chegaram depois de ler o artigo no Expresso de Daniel Bessa, um ex-ministro da Economia de Guterres durante apenas 18 meses (et pour cause), de que transcrevo o último parágrafo:

«Os partidos políticos que hoje apoiam o Governo foram de uma unanimidade surpreendente: Heloísa Apolónia (PEV), Jorge Machado (PCP), Joana Mortágua (BE, num discurso belíssimo, do ponto de vista formal e mesmo estético) e Alberto Martins (PS, num discurso politicamente mais elaborado) responsabilizaram a União Europeia, o euro e as políticas de austeridade. É injusto, porque ignora o contributo da União Europeia para muitas das conquistas de que o 25 de Abril se vangloria; é desresponsabilizante, porque imputa a terceiros a responsabilidade pelos nossos défices de desempenho

1 comentário:

Unknown disse...

Auto-retrato da menorização mental e infantilismo de um povo - melhor, de quem se diz representá-lo.
Prafraseando um grande Português, limitamo-nos aos 2Sinais exteriores de indepeNdência".
Um povo de pedintes - e de ignorantes.
Vale-nos o estar aquém do estreito de Gibraltar, miserável "Gaiola do Faustino" a quem ainda continuam a ser atirados uns punhados de amendoins...