Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

19/08/2016

O ruído do silêncio da gente honrada no PS é ensurdecedor (138) - Então? Não se indignam por eles não quererem «gajas»?

«Santos Silva critica Ban Ki-moon por este preferir uma mulher como sucessora»

«Temos muitas líderes mulheres distintas e eminentes em governos nacionais ou em outras organizações ou mesmo em comunidades empresariais, políticas e culturais, e em todos os aspetos da nossa vida. Não existe nenhuma razão para que isso não aconteça nas Nações Unidas», comentou Ban Ki-moon numa declaração politicamente correcta que deveria ser aplaudida de pé pela esquerdalhada.

Por que razão Santos Silva, o MNE em exercício, o tal que gosta de malhar na direita, acompanhado por uma legião de defensores da igualdade de sexos géneros, se insurgiu contra Ban Ki-moon? Obrigado por perguntaram. A resposta é simples: o próximo SG da ONU deveria ser uma mulher a menos que o nosso candidato seja um homem.

Sem comentários: