Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

03/08/2016

Encalhados numa ruga do contínuo espaço-tempo (67) – Back to the Wild West


Dando de barato que há países mais violentos do que os EU (como a Venezuela) apesar da proibição de armas, dando de barato que até em países ultracivilizados como a Noruega se dão mass shootings, dando de barato que as armas não disparam sozinhas e todos os outros argumento do costume, incluindo as tradições americanas e o «constitutional carry» que dá aos cidadãos americanos o direito a transportar armas escondidas sem licença, há uma certa dose de insensatez quando nos últimos meses em vários Estados se vive num clima semi-paranóico envolvendo a polícia e num estado como o Texas, depois de dois incidentes com armas no fim-de-semana na capital Austin, entra em vigor uma lei que permite aos portadores de armas licenciadas, incluindo estudantes, serem portadores de armas nas universidades públicas, salvo se estas o não permitirem.

1 comentário:

Anónimo disse...

A doideira — que não é só aqui — vai levar a que isto acabe mal para o mexilhão, se não for para todos.
Além dos inexplicáveis Machu Pichu, moai em Rapa Nui, Pirâmides pelo mundo fora, não compreendo que "só" há uns 7.000 anos tenha aparecido a agricultura e os registos escritos. Dizem os sábios que o Homo sapiens sapiens existe há, pelo menos, meio milhão de anos. E nada fez senão ir aos ninhos?
Civilizações táo sábias que se destruíram...