Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

17/08/2016

Lost in translation (276) – Estão a falar de países diferentes com línguas diferentes

Respondendo às críticas de Passos Coelho na sua homilia anual no Pontal sobre o esgotamento da geringonça e a estagnação da economia, António Costa ripostou ad hoc à entrada do quartel de bombeiros de Arouca (um local apropriado para ripostar) que não, não era nada disso, o seu governo estava a «reconstruir o país» e a fazer a «inversão da trajectória económica» e a oposição só anunciava desgraças, que aliás não se verificavam.

Para quem escreve todas as semanas uma Crónica da anunciada avaria irreparável da geringonça, as declarações de Costa foram uma surpresa. Por coincidência, quando li esta citação de Costa tinha acabado de ler o post «Aniversário do Plano Macroeconómico do PS» de O Insurgente do qual tomo a liberdade de reproduzir os diagramas, confiando que Confúcio saberia do que estava a falar se tivesse dito «uma imagem vale mais do que mil palavras», apesar de ter vivido sem televisão. Escrevo se tivesse dito, porque dizem os sinólogos, os caracteres que supostamente significariam isso na verdade significam outra coisa.

A reconstrução do país e a inversão da trajectória segundo Costa

Créditos: Insurgente

Sem comentários: