Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

25/01/2016

CAMINHO PARA A INSOLVÊNCIA: De como o melhor que pode acontecer ao paraíso prometido aos gregos pelo Syriza é ser um purgatório (XLVI) – O novo Tsipras

Outros purgatórios a caminho dos infernos.

Completa-se hoje um aniversário sobre a vitória do Syriza nas eleições. Alguém se recorda das bandeiras agitadas por esta agremiação esquerdista e da excitação do jornalismo de causas e da esquerdalhada? E da excitação de Costa («Vitória do Syriza é um sinal de mudança que dá força para seguir a mesma linha»)? Não? Então pode clicar no link acima para uma recapitulação. Um ano depois, a Grécia, o Syriza e o seu querido líder Tsipras desaparecerem do discurso da esquerdalhada e quase desapareceram dos mídia.

Tsipras, quando aparece, é como uma reencarnação social-democrata daquele Tsipras radical. O novo Tsipras foi visto pela última vez em Davos, no Fórum Económico Mundial no mesmo painel do ministro das Finanças alemão Wolfgang Schäuble, onde disse que qualquer eurocrata costuma dizer:
«Temos de ter uma Europa democrática, solidária, temos também de aumentar os nossos orçamentos para reduzir a desigualdade social. Temos de ter um sistema europeu de garantia de depósitos. Temos de encontrar uma solução partilhada para os nossos problemas comuns, como o desemprego. É tempo de voltar aos princípios fundadores da União Europeia».

2 comentários:

Anónimo disse...

► Vendedores de loção para crescer o cabelo (havia um que a fazia com a gordura dos cadáveres o Instituto de Medicina Legal);
► Ciganos,
► Políticos.

Tudo boa gente. Todos aldrabões a ver se sacam o sustento.

Dudu disse...

Traduzido por miúdos: mutualização da dívida, subsídio de desemprego, garantia de depósitos, investimento público.