Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

24/01/2015

Pro memoria (218) - O comentário político mais estúpido sobre a bazuca do Mario


«A ortodoxia do ajustamento interno prosseguido pelo Governo sofreu hoje uma pesada derrota política e doutrinária» postulou, a propósito do anúncio da bazuca do Mario, António Costa, aquele a quem os pais da pátria ungiram para a salvar do inferno neoliberal.

Numa feroz competição com opinion dealers de todos os quadrantes que produziram pérolas do pensamento político-económico de grande calibre, Costa demonstra que o seu silêncio não se tem devido a falta de ideias e ganha por mérito próprio o prémio do comentário político mais estúpido sobre a bazuca do Mario.

A propósito, segundo um estudo dos psicólogos Shaul Shalvi, Ori Eldar e Yoella Bereby-Meyer publicado na Psychological Science, as pessoas tendem a ser mais desonestas e a mentir mais quando pressionadas pela falta de tempo. Jornalistas de causas não empurrem o microfone para cima do Dr. Costa (e dos outros, claro) porque, como resumiu o Dr, Shalvi, «people usually know it is wrong to lie, they just need time to do the right thing

Sem comentários: