Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

06/01/2015

Dúvidas (71) – Juízes em exclusivo?

«O presidente da Associação Sindical dos Juízes Portugueses pediu urgência na discussão pública e aprovação da proposta sobre o novo Estatuto dos Magistrados Judiciais, que prevê … a criação de um "único" subsídio - o de exclusividade - que irá substituir o atual subsídio de compensação de renda de casa (de 680 euros) auferido pelos juízes.» (Fonte: Agência Lusa)

Permitam-se-me as seguintes dúvidas: estarão os juízes a considerar arredondar o seu magro salário com outras actividades, por exemplo professores ou polícias? E, nesse caso, estarão os juízes dispostos a abdicar dessas outras actividades em troco de um «único» subsídio de «exclusividade»?

Pensando melhor, o exemplo dos polícias e dos professores pode não ser o mais adequado, já que até a OCDE concluiu que temos professores e polícias a mais. Contudo, permita-se-me ainda uma outra dúvida: saberá a OCDE que os polícias nunca são demais quando se vive num estado policial?

1 comentário:

Anónimo disse...

Conheço bem dois — 2 — magistrados; um, Juíz outro, MP. Não entenderam, há séculos, o aviso que lhes fiz. Por causa do mapa de férias que, de caras lhes era favorável, optaram, como as outras alimárias, por serem funcionários públicos. Deixaram de ser o QUARTO PODER numa democracia; passaram a 'mangas de alpaca'.
Que se forniquem; não é insulto; é termo bíblico.
Abraços