Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

18/01/2015

CASE STUDY: O homem providencial para o Estado Previdência (8)

(Outros feitos do homem providencial)

Suponhamos que Tozé Seguro ainda por aí andava com o seu ar de calimero e as suas intenções de voto que nunca descolaram dos 38%, apesar das suas promessas de tirar os portugueses do inferno de Passos Coelho para os levar ao céu do socialismo. O que diria nesta altura o ungido Costa e todo o coro dos seus admiradores, amplificado pela boa imprensa?

O que quer que seja que dissesse, não deveria ser muito diferente do que o mesmo Tozé agora poderia dizer das realizações de Costa depois de 3 meses a fazer as mesmas promessas de tirar os portugueses do inferno de Passos Coelho para os levar ao céu do socialismo. Realizações que se ficam por 37,9% das intenções de voto do PS, por uma popularidade pessoal de 11,1%, apenas 3,4% acima de Paulo Portas, o salta-pocinhas do regime, e por opiniões positivas de 36,3%, apenas 10% acima de Passos Coelho (resultados das sondagens amigas da Eurosondagem para o Expresso).

Sou dos que tenho dito que, depois de 4 anos a consertar (mal) a bancarrota que o socialismo socrático nos deixou, com o povo infantilizado pelas elites e pela mídia que temos, até o pato Donald à frente do PS conseguiria ganhar umas eleições. Quanto ao pato Donald mantenho e opinião. Quanto a António Costa, vou pensar melhor no assunto.

1 comentário:

Anónimo disse...

Alto e pára o baile! E o tio Patinhas? E os manos Metralha?
Tudo gente a ser ostracizada pela esquerdalhada bien pensante. Já lixaram o Lucky Luke e o Capt. Haddock. Falta tramar Asterix.
Será que o hebdo vai consegui-lo? Ou hebebedos?
Como é que vão ficar as sondagens das crianças de 31 anos a quem os papás pagam tudo, tudo, tudo?
Dúvidas, só dúvidas.
Abraço