Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

08/01/2015

O ruído do silêncio da gente honrada no PS é ensurdecedor (102) – Os políticos são todos iguais, mas os políticos socialistas são mais iguais do que os outros

«Quanto a Sócrates, Vera Jardim diz que “há estados de emergência, de necessidade de defesa das pessoas” que permitem às pessoas violar alguns deveres legais “porque os deveres legais cessam também perante outros direitos das pessoas: o direito ao bom nome, à reputação e a defender-se”.» (Rádio Renascença)


Pode parecer que este Vera Jardim é um rufia qualquer da JS, mas não é. Este Vera Jardim é «o» Vera Jardim, de nome completo José Eduardo Vera-Cruz Jardim, advogado, foi sócio de Jorge Sampaio na sociedade de advogados de ambos, é consultor da sociedade de advogados da Jardim, Magalhães e Silva & Associados, foi deputado várias vezes e até ministro da Justiça, por inacreditável que pareça.

1 comentário:

Anónimo disse...

Evidentemente, pelo menos para vós, rufias Vera-Cruz é caricato.
Ministro nem pó! Poucos sabem que "Comander c'est servir. Pas moins, pas plus". Escreveu-o André Malraux. Pelos vistos, um pulha.
Porque não damos cabo do canastro a 10 dos nossos pulhas. No dia seguinte tinham fugido 10.000 dessa raça e que deixariam de roubar. O que já roubaram está algures. Estou-me nas tintas. Mas deixavam de roubar.